26 julho 2017

7

Pra ler no busão: O conto da aia

Título: O conto da aia
Autor: Margaret Atwood
Páginas: 368
Ano: 2006
Edição lida: 1ª edição
Editora: Rocco

Sinopse"Escrito em 1985, o romance distópico O conto da aia, da canadense Margaret Atwood, tornou-se um dos livros mais comentados em todo o mundo nos últimos meses, voltando a ocupar posição de destaque nas listas do mais vendidos em diversos países. Além de ter inspirado a série homônima (The Handmaid’s Tale, no original) produzida pelo canal de streaming Hulu, a ficção futurista de Atwood, ambientada num Estado teocrático e totalitário em que as mulheres são vítimas preferenciais de opressão, tornando-se propriedade do governo, e o fundamentalismo se fortalece como força política, ganhou status de oráculo dos EUA da era Trump. Em meio a todo este burburinho, O conto da aia volta às prateleiras com nova capa, assinada pelo artista Laurindo Feliciano."

Sabe quando você lê um livro sem grandes pretensões e acaba se apaixonando tanto pela escrita como pela narrativa dele? Pois é, foi exatamente isso que aconteceu comigo enquanto lia O conto da aia.

A leitura é simples e a escrita da autora é incrível, palavras certas e cenas muito bem elaboradas.

Com certeza essa foi uma distopia que eu amei!

A obra nos contará a história de Offred, uma aia, que é obrigada a servir uma família muito poderosa da República de Gileade por ser fértil.

A República de Gileade é um Estado teocrático e totalitário em que as mulheres são vítimas preferenciais de opressão, tornando-se propriedade do governo, principalmente aquelas que se mostraram férteis por já terem tido um filho antes da sociedade chegar como está.

Offred foi arrebatada do marido e sua filha foi arrancada para que ela pudesse servir ao governo.

Offred nem sequer é o nome dela, elas, as aias, vão mudando de nome na medida que vão mudando de família.

A história é maravilhosa e vai mostrando como essas mulheres sem voz lutam para ter suas vidas de volta e mostrar que tem voz e força.

É uma tarefa difícil, mas June (nome verdadeiro de Offred) se mostra uma mulher cheia de ideias e que não está disposta a desistir, principalmente para ter sua filha de volta.

O fato de a obra ter um time tão atual, principalmente, com a história dos EUA faz com que a gente reflita mais ainda sobre o que Atwood passa na sua história.

Vale muito a pena a leitura. A revisão está sem problemas e a nova capa da Rocco tem muito a ver com a história.


7 comentários:

  1. Eu já estou com O Conto da Aia aqui na fila, e estou extremamente curiosa para ler. A premissa é muito interessante e assustadora. E vi o trailer da série e fiquei abismada. Quero logo ler e ver a série.
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Oii! Eu não conhecia esse livro, mas após ler a sua resenha fiquei encantada com a história. Parece conter um enredo muito forte e que prende o leitor até chegar nas páginas finais. Estou ansiosa para saber se a June terá a sua filha de volta. Sua resenha está ótima, obrigada pela dica. Bjss!

    ResponderExcluir
  3. Gente, que livro é esse? Me socorre. Não conhecia, mas já quero. Parece ser a história perfeita. Amei.
    Só de ler sua resenha já morri de dó da aia. Confesso que não gostei da capa. Numa livraria, não me interessaria pela obra, mas pelo que vc nos contou, deve ser o livro do ano. *-* Vou dar um jeito de adquiri-lo. Beijos. Obrigada por compartilhar sua experiência de leitura conosco.

    ResponderExcluir
  4. Olá Debora!
    Infelizmente a premissa dessa história não me atraiu pra leitura. Não sou muito fã de política e esse tipo de leitura costuma ser bem arrastado pra mim.
    No entanto, gostei bastante da forma como você contou suas impressões.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  5. Oi Deby, pela capa eu jamais falaria que é distópico, fiquei bem surpresa. Mulheres que lutam para ter voz, não é tão diferente de nossa realidade né?
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  6. Eu não conhecia quase nada do livro e gostei bastante de ver a sua resenha, achei a premissa muito interessante e,embora não seja um gênero que eu leia com frequência, fiquei curiosa para realizar a leitura

    ResponderExcluir
  7. Oi, Déborah!
    A editora Rocco sempre me agrada, já que é a casa da minha musa Anne Rice. O que mais me chamou atenção na sua resenha foi exatamente se tratar das aias que, normalmente, são meramente mencionadas nos livros.

    Beijos!
    Gatita&Cia.

    ResponderExcluir

 
© Copyright 2015. Template by LuMartinho.